Pular para o conteúdo principal

As pupilas do senhor Reitor, de Júlio Dinis

As Pupilas do Senhor Reitor [Record, 368 pgs, R$32,90] é um clássico da literatura portuguesa. Como o título sugere, as personagens principais são as pupilas do S. Reitor. Margarida e Clara são irmãs, mas uma é o oposto da outra. Enquanto a mais velha, Guida, é reservada e dada às tristezas e melancolia da vida, a outra é alegre, brincalhona e de uma ingenuidade própria das raparigas (leia-se moças) de virtudes do século XIX. A trama gira em torno do já citado S. Reitor, as suas pupilas, o José das Dornas e seus filhos, Pedro e Daniel. Este último, que deveria ter sido padre, não fosse por sua paixão pela pequena Guida – os dois eram crianças – é o caos que agita toda a história. Mandado para a cidade do Porto, Daniel volta já médico para a aldeia onde nascera e passara a infância e causa agitação na pacata aldeia. Suas ideias modernas chocam o médico octogenário, João Semana, e a princípio há certa disputa entre o velho e conservador; o novo e o progressista. Pedro, irmão mais velho …

Pequeno manual para os trouxas que não sabem o que acontece no 1° de Setembro


Para todos os fãs da saga do bruxo Harry Potter, dia 1° de Setembro não é um dia qualquer. Para quem recebeu a carta de Hogwarts, e infelizmente esse não foi o meu caso, hoje é o dia de ir para a plataforma 9 3/4 na estação de King's Cross, em Londres e atravessar a parede que fica entre a plataforma 9 e 10 e embarcar no Expresso de Hogwarts.


 





Mas vou explicar para os trouxas o que é a plataforma 9 3/4, o Expresso de Hogwarts e a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts

Plataforma Nove e Três Quartos é uma plataforma da Estação King's Cross em Londres. Magicamente escondida atrás da barreira entre as plataformas trouxas Nove e Dez, esta plataforma é onde os alunos da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts abordam o Expresso de Hogwarts no dia 1º de setembro para chegarem na escola.
Para se chegar na Plataforma Nove e Meia, deve se andar diretamente à barreira que divide as plataformas 9 e 10. Há um guarda fora da entrada que supervisiona as entradas e saídas da plataforma.
Isso se algum elfo não quiser que você vá para Hogwarts.

O Expresso de Hogwarts é um trem que transporta os alunos de magia da Estação de King's Cross para a Escola de Magia e Bruxaria de HogwartsA viagem começa às 05h da manhã, partindo da Plataforma nove e tres quartos, uma plataforma mágica que se localiza entre as de número nove e dez na Estação de King's Cross, durando até o anoitecer, quando chega à estação de Hogsmeade. A plataforma fecha às 11 horas em ponto, e o trem parte na mesma hora. Ou seja, mais um ano que não recebemos a nossa carta...
Chegando em Hogsmeade, os alunos do primeiro ano vão de barco até a castelo de Hogwarts e os demais usam carruagens puxadas por testrálios.
Por volta do meio-dia, uma mulher passa pelos vagões com um carrinho com vários doces, como feijõezinhos de todos os sabores, sapos de chocolate, balas de goma, chicles de bola, tortinhas de abóbora, bolos de caldeirão, varinhas de alcaçuz, pastelões e vários outras comidas incomuns.

Considerada como a melhor escola para bruxos de toda Europa, a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts foi fundada há mais de 1.000 anos por quatro dos melhores bruxos da época: Godrico Gryffindor, Helga Hufflepuff, Rowena Ravenclaw e Salazar Slytherin. O castelo foi construído na Escócia protegido por feitiços anti-trouxas, que só vêem um galpão abandonado ao se aproximarem, num lugar isolado dos trouxas, que na época perseguiam todos aqueles que consideravam serem capazes de realizar feitiços.


O Castelo de Hogwarts é vasto e fica em uma grande propriedade, ele é a sede da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. O castelo possui 142 escadarias conhecidas.

Os alunos de Hogwarts são divididos em quatro casas; Grifinória, Lufa-Lufa, Corvinal e Sonserina. As casas foram nomeadas depois dos quatro fundadores, Godrico Gryffindor, Helga Hufflepuff, Rowena Ravenclaw e Salazar Slytherin.

Fiquei tonto vendo esse gif.
Em resumo, hoje significa muito para os potterheads (fãs de Harry Potter), e agora seus trouxas, já podem pegar um livro ou ver um filme para ficar mais por dentro da história.

Comentários

  1. Amei o post!!!
    Ainda espero minha cartinha de Hogwarts, acho que ela deve ter sido extraviada...
    E hj tbm é o primeiro dia de aula de James Sirius Potter... Então, bom inicio de aulas para todos os bruxinhos!
    http://reticenciasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Hehehehehe
    Há exatos 15 anos espero minha carta de Hogwarts (sim, isso denuncia a idade, cruzes! hahaha), então meio que já deu tempo de me conformar. :-/
    Ótimo post! ;)

    Infinitos Livros

    ResponderExcluir
  3. Olá *----* verdaaaade gente como sou esquecida! A carta deve estar lá na caixa de correio me esperando :v sqn' kkk adorei seu post, Harry Potter é sempre maravilhoso! Beijos!
    http://conversasassim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Leia o conto "O Gato Preto", de Edgar Allan Poe

Não espero nem peço que acreditem nesta narrativa ao mesmo tempo estranha e despretensiosa que estou a ponto de escrever. Seria realmente doido se esperasse, neste caso em que até mesmo meus sentidos rejeitaram a própria evidência. Todavia, não sou louco e certamente não sonhei o que vou narrar. Mas amanhã morrerei e quero hoje aliviar minha alma. Meu propósito imediato é o de colocar diante do mundo, simplesmente, sucintamente e sem comentários, uma série de eventos nada mais do que domésticos. Através de suas consequências, esses acontecimentos me terrificaram, torturaram e destruíram. Entretanto, não tentarei explicá- los nem justificá-los. Para mim significaram apenas Horror, para muitos parecerão menos terríveis do que góticos ou grotescos. Mais tarde, talvez, algum intelecto surgirá para reduzir minhas fantasmagorias a lugares-comuns – alguma inteligência mais calma, mais lógica, muito menos excitável que a minha; e esta perceberá, nas circunstâncias que descrevo com espanto, na…

O livro sobre nada | Poema de Manoel de Barros

O livro sobre nada

É mais fácil fazer da tolice um regalo do que da sensatez.
Tudo que não invento é falso.
Há muitas maneiras sérias de não dizer nada, mas só a poesia é verdadeira.
Tem mais presença em mim o que me falta.
Melhor jeito que achei pra me conhecer foi fazendo o contrário.
Sou muito preparado de conflitos.
Não pode haver ausência de boca nas palavras: nenhuma fique desamparada do ser que a revelou.
O meu amanhecer vai ser de noite.
Melhor que nomear é aludir. Verso não precisa dar noção.
O que sustenta a encantação de um verso (além do ritmo) é o ilogismo.
Meu avesso é mais visível do que um poste.
Sábio é o que adivinha.
Para ter mais certezas tenho que me saber de imperfeições.
A inércia é meu ato principal.
Não saio de dentro de mim nem pra pescar.
Sabedoria pode ser que seja estar uma árvore.
Estilo é um modelo anormal de expressão: é estigma.
Peixe não tem honras nem horizontes.
Sempre que desejo contar alguma coisa, não faço nada; mas quando não desejo contar nada, faço poesia.
Eu que…

Ostra feliz não faz pérola, de Rubem Alves

Bem, vou começar falando o quanto eu aprendi lendo esse livro. Quando falo livro, acho que estou me referindo a mais um livro qualquer, o que não é o caso de Ostra feliz não faz pérola. Rubem Alves é simplesmente incrível, e seus textos que fazem parte do livro são maravilhosos. Claro que tem alguns ao qual eu não concorde muito, mas sobre isso não tenho nada a acrescentar, porque continua sendo maravilhoso de todo o jeito. Acho que vocês estão aí pensando que estou me referindo muito bem ao livro, e que isso cheire a alguma forma de merchan. Mas não caros leitores, quem teve o prazer de ler Rubem Alves sabe do que estou escrevendo.  Os textos falam sobre sofrimento que produz a beleza, da morte que conduz à vida, do envelhecimento que traz a juventude não vivida, do sagrado que está em todos os lugares. São doses de sabedorias que quero tomar sempre. O Rubem fala muito em suas crônicas de Nietzsche, Bach, Cecília e tantos outros ao qual ele admirava. Ostra feliz não faz pérola é uma gr…