Pular para o conteúdo principal

A alma do mundo, de Roger Scruton

Para Roger Scruton, um dos filósofos mais importante da atualidade, não podemos explicar o mundo apenas pelas ciências naturais. Em seu mais recente livro publicado pela Editora Record, Scruton argumenta contra essa tendência de querer explicar cientificamente o que não se pode ser explicado cientificamente. O indivíduo, o self, não pode ser analisado pela ciência com o propósito de explica-lo, assim como o mundo, a música, a religião, o sagrado e as relações eu-você. Nos primeiros capítulos a compreensão pode ser um pouco difícil, pois o filósofo contrapõe os argumentos científicos (como a psicologia evolutiva) que afirma que o que fazemos é determinado pelos nossos genes. Mas não tentarei explicar o que é bastante complicado para entender, por isso deixo essa tarefa para o próprio Scruton.
As nossas associações, o nosso ato de sacrificar pela família ou pátria, nossos contratos, relacionamentos e até a nossa crença faz parte de um mundo que não se pode explicar pela ciência. O nosso …

Operação Big Hero | Filmes


Olá leitores! Eu assisti essa animação no feriado da páscoa, e como amei. Sabe, fazia muito tempo que um desenho da Disney não me surpreendia, mas Big Hero ganhou minha total admiração e minhas lágrimas (risos). 

Então, o filme é sobre Hiro Hamashida, um menino prodígio em robótica que perde seu irmão, Tamadashi, em um incêndio. Antes dele morrer, ele estava criando um, vamos dizer assim, robô que era uma espécie de médico, um agente da saúde. O filme começa com uma briga de robôs, e Hiro decide participar, mas o seu robô é pequeno e perde em menos de um minuto. Mas Hiro decide tentar outra vez, aí é que a coisa fica boa, pois o robô de Hiro é como se fosse um ninja e derrota o adversário muito rápido. Tamadashi fica preocupado com o irmão mais novo, e o leva para visitar o lugar onde ele estuda e trabalha, o centro de robótica do Instituto de Tecnologia de Fransokyo, uma mistura de São Francisco e Tokio. Lá ele conhece os amigos do irmão e o robô Baymax. Tamadashi incentiva Hiro a se apresentar em uma feira de robótica, podendo ter uma chance de se juntar ao instituto caso o professor Callaghan gostasse da sua criação.



Então Hiro cria microrobôs, robôs minúsculos que ao seguirem as ordens de um transmissor neural se combinam para construir tudo que o usuário imaginar. A invenção chama a atenção de todos na feira, inclusive a do professor Callaghan. Um incêndio faz com que o prédio onde a feira está acontecendo pegue fogo, e Tamadashi decide entrar lá para salvar Callaghan. Os dois morrem. Hiro Hamashida fica muito deprimido com a morte do irmão, e ativa o robô Baymax que faz de tudo para Hiro se sentir melhor. Depois de descobrir um galpão onde seus microrobôs estão, eles são perseguidos por um vilão mascarado e são salvos pelos amigos do irmão.



Como todo filme de animação, existe um mocinho e um vilão. Operação Big Hero tem um vilão, mas em lugar do mocinho, ele vai enfrentar uma equipe de super heróis, inclusive Baymax que é o xodó da equipe.



Apesar de ser um robô, ele demonstra sentimentos, fazendo de tudo para Hiro se sentir melhor. E com isso, ele o configura para ser um robô que luta para poder capturar aquele que matou o seu irmão. Gente, muita fofura esse Baymax! Queria ter um para mim... Diálogos bem construídos, animação impecável que, diga-se de passagem, é vencedor do Oscar. Uma história que te comove, te alegra, te faz sonhar. Com personagens de personalidades próprias, como a menina eufórica, a durona, o fã de quadrinhos e o neurótico. Todos nerds, que usam suas criações para se tornar em superheróis. 

Vale muito a pena assistir com a família, namorada, amigos, cachorro, periquitos... Quase perto do fim do filme, segurei as minhas lágrimas em uma batalha quase impossível de ganhar.

Avaliação: (Excelente)

Comentários

  1. Melhor que como treinar seu dragão 2?

    ResponderExcluir
  2. Ownnnn!! Que fofo!
    Quero tanto assistir, tenho certeza que vou gostar.
    Como não fui ao cinema vou ter que baixar pra assistir e por isso tenho que esperar.

    Abraços
    Coração Leitor

    ResponderExcluir
  3. Olá :) Nunca assisti esse filme, a proposta é legal e interessante. :) Adorei saber um pouco sobre essa história através da sua opinião. ;) É uma animação diferente e atrativa. :D Quem sabe futuramente eu veja. :) Abraço! *-*
    Blog: http://my-stories-wonderful-books.blogspot.com.br/
    Página: https://www.facebook.com/BlogWonderfulBooks

    ResponderExcluir
  4. Que bacana. Não compreendi o discurso ideológico ao certo, mas assistiria, fiquei curiosa...
    Interessante um robô humanizado.
    http://www.poesianaalma.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Ola tudo bem?
    adoro filmes da disney, estou louca para assistir este, pena eu ainda não ter assistido.
    Este filme parece ser muito bom mesmo, alias como todos os filmes da disney que não deixa nada a desejar.
    http://clubedabelezaemaquiagem.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Que bom que você gosto do filme eu já assisti varias vezes ate porque tenho irmas pequenas e já sabe né vive de desenhos hehe, mais o filme é realmente muito bom e assim como você fazia muito tempo que eu não assistia desenhos Disney hehe, mais desde do inicio do ano vivo de variedades
    Abraços e Boa Semana!

    www.pedrosanttos.com

    ResponderExcluir
  7. Que legal quero muito ver este filme ...chamou muito minha atenção, vou comentar com meu filho :)
    http://florroxapoemasepoesias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oooi!!

    Eu dei taaanta risada com esse filme, não foi a melhor animação, mas foi muito fofa e divertida.
    Adorei ter conhecido o Baymax ele é um amoooooor gente *---* com toda certeza foi o melhor personagem ;)


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  9. Mano, eu não gostei da sua resenha! O filme é muito bom, mas não precisava dar tantos spoilers!!!!!
    Eu fiz um post sobre o filme também há algum tempo. Dá uma olhada lá! ^^

    http://www.sonhosemtinta.com.br/2015/01/resenhas-operacao-big-hero.html

    ResponderExcluir
  10. Adoro animações e quero muito assistir Operação Big Hero parece ser uma daqueles filmes que nos fazem rir e chorar!
    Beijos
    Porão da Liesel

    ResponderExcluir
  11. Eu ameeeeeei esse filme!!! Saí do cinema querendo um Baymax pra mim. A Disney se superou nessa lindeza, também recomendo a todos!!!
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  12. Eu assisti esse filme no cinema, foi a primeira vez que assisti uma animação lá, acredita?!
    Eu achei o filme maravilhosoooo! Baymax é a coisa mais fofa do mundo! Dei boas risadas e chorei também.
    O curta que passou antes do filme também foi fofíssimo, cê tinha que ver!
    Que a Disney faça mais filmes assim <3

    www.livrosdajess.com

    ResponderExcluir
  13. Oie, Allenylson!
    Eu quero muito assistir! Quero conferir com meus próprios olhos para ver se foi tão bom a ponto de superar Como Treinar Seu Dragão 2, que na minha opinião de quem ainda não assistiu Operação Big Hero, deveria ter levado a estatueta para casa. Só acho.
    Com carinho,
    Celly.

    http://melivrandoblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Amei esse filme!
    Assisti no cinema e me encantei pelo Baymax, ele é tão carinho. Já vi umas réplicas do boneco por aí, acho até que vou comprar, haha.
    Beijocas,
    http://www.segredosentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Leia o conto "O Gato Preto", de Edgar Allan Poe

Não espero nem peço que acreditem nesta narrativa ao mesmo tempo estranha e despretensiosa que estou a ponto de escrever. Seria realmente doido se esperasse, neste caso em que até mesmo meus sentidos rejeitaram a própria evidência. Todavia, não sou louco e certamente não sonhei o que vou narrar. Mas amanhã morrerei e quero hoje aliviar minha alma. Meu propósito imediato é o de colocar diante do mundo, simplesmente, sucintamente e sem comentários, uma série de eventos nada mais do que domésticos. Através de suas consequências, esses acontecimentos me terrificaram, torturaram e destruíram. Entretanto, não tentarei explicá- los nem justificá-los. Para mim significaram apenas Horror, para muitos parecerão menos terríveis do que góticos ou grotescos. Mais tarde, talvez, algum intelecto surgirá para reduzir minhas fantasmagorias a lugares-comuns – alguma inteligência mais calma, mais lógica, muito menos excitável que a minha; e esta perceberá, nas circunstâncias que descrevo com espanto, na…

Ostra feliz não faz pérola, de Rubem Alves

Bem, vou começar falando o quanto eu aprendi lendo esse livro. Quando falo livro, acho que estou me referindo a mais um livro qualquer, o que não é o caso de Ostra feliz não faz pérola. Rubem Alves é simplesmente incrível, e seus textos que fazem parte do livro são maravilhosos. Claro que tem alguns ao qual eu não concorde muito, mas sobre isso não tenho nada a acrescentar, porque continua sendo maravilhoso de todo o jeito. Acho que vocês estão aí pensando que estou me referindo muito bem ao livro, e que isso cheire a alguma forma de merchan. Mas não caros leitores, quem teve o prazer de ler Rubem Alves sabe do que estou escrevendo.  Os textos falam sobre sofrimento que produz a beleza, da morte que conduz à vida, do envelhecimento que traz a juventude não vivida, do sagrado que está em todos os lugares. São doses de sabedorias que quero tomar sempre. O Rubem fala muito em suas crônicas de Nietzsche, Bach, Cecília e tantos outros ao qual ele admirava. Ostra feliz não faz pérola é uma gr…

O Menino do Pijama Listrado | Resenha do Livro

24 de Abril

Ano: 2007
Páginas: 192 Idioma: português
Editora: Companhia das Letras

Esse é aquele tipo de livro que dá pra ler em um dia. A leitura é simples e envolvente.
A historia relata a vida de Bruno, que em um certo dia ao chegar em casa vê a empregada da família arrumando todas as suas coisas em malas, logo percebe que não só ele mas toda a família irão se mudar, ele tenta de todos os modos a convencer a mãe a não fazer isso, já que ele adora a casa em que mora na cidade de Berlin.
A trama se passa na Alemanha em plena segunda guerra mundial, seu pai sendo comandante, teve que se mudar com a família por questões de seu trabalho. A nova casa de Bruno não é nada convidativa, ele não se agrada dela e logo percebe que ali ele não terá vizinhos e nem crianças com quem brincar. O que o deixa decepcionado e com mais vontade de ir embora.
Bruno é um garoto de nove anos, e como qualquer outro de sua idade esbanja ingenuidade, e deseja sempre alguém com quem possa brincar. Ele tem uma irmã de…