Pular para o conteúdo principal

As pupilas do senhor Reitor, de Júlio Dinis

As Pupilas do Senhor Reitor [Record, 368 pgs, R$32,90] é um clássico da literatura portuguesa. Como o título sugere, as personagens principais são as pupilas do S. Reitor. Margarida e Clara são irmãs, mas uma é o oposto da outra. Enquanto a mais velha, Guida, é reservada e dada às tristezas e melancolia da vida, a outra é alegre, brincalhona e de uma ingenuidade própria das raparigas (leia-se moças) de virtudes do século XIX. A trama gira em torno do já citado S. Reitor, as suas pupilas, o José das Dornas e seus filhos, Pedro e Daniel. Este último, que deveria ter sido padre, não fosse por sua paixão pela pequena Guida – os dois eram crianças – é o caos que agita toda a história. Mandado para a cidade do Porto, Daniel volta já médico para a aldeia onde nascera e passara a infância e causa agitação na pacata aldeia. Suas ideias modernas chocam o médico octogenário, João Semana, e a princípio há certa disputa entre o velho e conservador; o novo e o progressista. Pedro, irmão mais velho …

Lançamentos de Fevereiro | Chiado Editora

Coleção: Compendium  
Gênero: Música  
Páginas: 482 





 Coleção: Mundo Fantástico
 Gênero: Literatura Fantástica
 Páginas: 104
SinopseO mundo está em guerra... Luz e trevas estão presos em uma batalha sem fim, mas agora essa realidade está para mudar. A profecia começou a se concretizar.
Annabelle e Verônica foram escolhidas pela magia para serem guardiãs do poder que determinará qual dos dois lados da guerra vencerá. No entanto, todos estão se esquecendo que elas são apenas duas adolescentes de 14 anos sem consciência do que realmente está em jogo. Se falharem, terão que pagar o preço da derrota... e é um preço muito alto.

Título: Marca de Sangue  
Autor: Isabel Moreira Rego  
Coleção: Mundo Fantástico  
Gênero: Literatura Fantástica 
Páginas: 214
SinopseO acontecimento de uma grande mudança deixou de afetar toda a humanidade. Os vampiros modernos dos finais do século vinte trocam o sangue humano pelo sangue sintético. Uma criação em laboratório, de grande expansão mundial, comercializada pelos japoneses.
Sarah Wilson é uma recente vampira empregada de mesa num bar, numa pequena aldeia, nas periferias da cidade de Pádua. Trabalha no turno da noite. Esconde de todos os colegas que é uma morta-viva com medo de ser confundida com os vampiros sanguinários de séculos passados. Para disfarçar a cor branca e transparente da sua pele, usa maquilhagem adequada ao seu anterior perfil de humana.
Um dos colegas surgiu, distanciado dos outros, para a apoiar com a ajuda dos seus conhecimentos profissionais. Com a aproximação o humano, Rangello Giovanni, apaixona-se pela vampira Sarah.
Aos poucos descobre-se, um pouco por todo o mundo, que o próprio sangue dos vampiros funciona nos humanos como uma das energias mais poderosas. É possível que os humanos ao aceitar os vampiros acabem por aceitar a sua própria extinção?

Título: Abryel
 Autor: Wellington Pinto
 Coleção: Mundo Fantástico
 Gênero: Literatura Fantástica
 Páginas: 170
Sinopse: Dois universos com dádivas distintas. Um evento desestabiliza a ordem. Cabe a um etrusco restaurar a paz. Não há piedade. Resta desolução.
O equilíbrio entre dois mundos foi afetado. Dá-se início à Trilogia Paralela.
O Mundo Paralelo coexiste com sua irmã gêmea em outro plano, ambos necessitam estar bem e a ruína de um pode representar a falência de outro. A ele foi dada a dádiva da tecnologia e a nós coube a magia. Deus não permitiu que um possuísse ambas as maravilhas, pois temeu que a criatura almejasse tornar-se maior que o criador.

Título: Obscuridades
 Autor: Beatris Cardeal
 Coleção: Prazeres Poéticos
 Gênero: Poesia
 Páginas: 46





 Coleção: Viagens na Ficção
 Gênero: Ficção
 Páginas: 376
Sinopse: Ela acreditou que fosse apenas um passeio de férias com a família, mas ao chegar àquela Ilha misteriosa, Mariana é atacada por uma inexplicável angústia que aflige sua alma juvenil e a impulsiona em direção ao perigo, indo ficar na mira de homens perigosos e dispostos a matar.
Entre ataques e livramentos, ela conhece Rafael – um garoto nativo - que também luta pela própria sobrevivência. Juntos, eles descobrirão que fugir não basta. É preciso enfrentar o perigo, mesmo desconhecendo os desafios que o futuro reservou-lhes.
Eles encontrarão a ajuda de que precisam para escapar de uma tragédia anunciada? Ou todos estão ali apenas para cumprir o que o imutável destino já determinou?
“É verdade que o perigo existe, mas o mal jamais subsistirá enquanto houver um coração puro”.

Para mais lançamentos, visite o site da Chiado Editora aqui.

Comentários

  1. UOU! Realmente muito bom termos uma lista dessas fresquinhas para ficarmos atentos! Adorei! *-*

    http://tedioescritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Beatriz, continue acompanhando o blog que terá mais novidades. Beijos!

      Excluir
  2. As capas estão um luxo e as minhas preferidas são Os Segredos de Mistic City e Marca de Sangue . se o enredo estiver à altura, será um sucesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estão um luxo mesmo, a Chiado sempre caprichando. As que mais me chamaram atenção foi Abryel e Obscuridades. Beijos!

      Excluir
  3. Oie!
    Primeira vez te visitando, vi seu blog no grupo Blogs Literários. =)
    Gostei dos lançamentos, as capas chamaram a atenção (principalmente Abryel e Obscuridades).
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Pri! Espero que visite mais vezes, as capas dos livros Abryel e Obscuridades também foram as mais que me chamaram atenção, quero ler eles pra ontem rs. Beijos!

      Excluir
  4. Acho demais os livros da Chiado, a sessão de Fantasia é magnifica. Parabéns pela postagem, lembrei agora que também tenho que fazer uma postagem. kksk
    Abraços.

    Escritaliteraria1.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí cara, estou super ansioso pela chegado do livro que eu escolhi rs. A Chiado é super incrível! Abraços!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Leia o conto "O Gato Preto", de Edgar Allan Poe

Não espero nem peço que acreditem nesta narrativa ao mesmo tempo estranha e despretensiosa que estou a ponto de escrever. Seria realmente doido se esperasse, neste caso em que até mesmo meus sentidos rejeitaram a própria evidência. Todavia, não sou louco e certamente não sonhei o que vou narrar. Mas amanhã morrerei e quero hoje aliviar minha alma. Meu propósito imediato é o de colocar diante do mundo, simplesmente, sucintamente e sem comentários, uma série de eventos nada mais do que domésticos. Através de suas consequências, esses acontecimentos me terrificaram, torturaram e destruíram. Entretanto, não tentarei explicá- los nem justificá-los. Para mim significaram apenas Horror, para muitos parecerão menos terríveis do que góticos ou grotescos. Mais tarde, talvez, algum intelecto surgirá para reduzir minhas fantasmagorias a lugares-comuns – alguma inteligência mais calma, mais lógica, muito menos excitável que a minha; e esta perceberá, nas circunstâncias que descrevo com espanto, na…

O livro sobre nada | Poema de Manoel de Barros

O livro sobre nada

É mais fácil fazer da tolice um regalo do que da sensatez.
Tudo que não invento é falso.
Há muitas maneiras sérias de não dizer nada, mas só a poesia é verdadeira.
Tem mais presença em mim o que me falta.
Melhor jeito que achei pra me conhecer foi fazendo o contrário.
Sou muito preparado de conflitos.
Não pode haver ausência de boca nas palavras: nenhuma fique desamparada do ser que a revelou.
O meu amanhecer vai ser de noite.
Melhor que nomear é aludir. Verso não precisa dar noção.
O que sustenta a encantação de um verso (além do ritmo) é o ilogismo.
Meu avesso é mais visível do que um poste.
Sábio é o que adivinha.
Para ter mais certezas tenho que me saber de imperfeições.
A inércia é meu ato principal.
Não saio de dentro de mim nem pra pescar.
Sabedoria pode ser que seja estar uma árvore.
Estilo é um modelo anormal de expressão: é estigma.
Peixe não tem honras nem horizontes.
Sempre que desejo contar alguma coisa, não faço nada; mas quando não desejo contar nada, faço poesia.
Eu que…

Ostra feliz não faz pérola, de Rubem Alves

Bem, vou começar falando o quanto eu aprendi lendo esse livro. Quando falo livro, acho que estou me referindo a mais um livro qualquer, o que não é o caso de Ostra feliz não faz pérola. Rubem Alves é simplesmente incrível, e seus textos que fazem parte do livro são maravilhosos. Claro que tem alguns ao qual eu não concorde muito, mas sobre isso não tenho nada a acrescentar, porque continua sendo maravilhoso de todo o jeito. Acho que vocês estão aí pensando que estou me referindo muito bem ao livro, e que isso cheire a alguma forma de merchan. Mas não caros leitores, quem teve o prazer de ler Rubem Alves sabe do que estou escrevendo.  Os textos falam sobre sofrimento que produz a beleza, da morte que conduz à vida, do envelhecimento que traz a juventude não vivida, do sagrado que está em todos os lugares. São doses de sabedorias que quero tomar sempre. O Rubem fala muito em suas crônicas de Nietzsche, Bach, Cecília e tantos outros ao qual ele admirava. Ostra feliz não faz pérola é uma gr…