O Menino do Pijama Listrado | Resenha do Livro

24 de Abril


Ano: 2007
Páginas: 192
Idioma: português
Editora: Companhia das Letras


Esse é aquele tipo de livro que dá pra ler em um dia. A leitura é simples e envolvente.

A historia relata a vida de Bruno, que em um certo dia ao chegar em casa vê a empregada da família arrumando todas as suas coisas em malas, logo percebe que não só ele mas toda a família irão se mudar, ele tenta de todos os modos a convencer a mãe a não fazer isso, já que ele adora a casa em que mora na cidade de Berlin.

A trama se passa na Alemanha em plena segunda guerra mundial, seu pai sendo comandante, teve que se mudar com a família por questões de seu trabalho.
A nova casa de Bruno não é nada convidativa, ele não se agrada dela e logo percebe que ali ele não terá vizinhos e nem crianças com quem brincar. O que o deixa decepcionado e com mais vontade de ir embora.

Bruno é um garoto de nove anos, e como qualquer outro de sua idade esbanja ingenuidade, e deseja sempre alguém com quem possa brincar. Ele tem uma irmã de doze anos que para ele é um caso perdido. Eles têm aquele típico relacionamento entre irmãos, enquanto Bruno quer brincar sua irmã quer mostrar que ela já é bem grandinha pra isso.

Naquele lugar longe de tudo o tédio logo o toma, e ele passa a se questionar sobre umas pessoas que vivem em um campo, e que por algum motivo todos eles usam pijamas listrados, Bruno percebe também que no campo há crianças com a qual ele possa fazer amizades. Então em um dia em que Bruno se dispôs a fazer explorações ele encontra Shmuel, um garoto que “mora” do outro lado da cerca e usa seu pijama listrado, a partir desse momento eles passam a conviver em uma amizade inocente.




É necessário prestar atenção no capítulo final do livro, pois apesar de parecer “incompleto” da pra você ter uma ideia do que aconteceu.

O que me surpreendeu nesse livro foi o fato de John Boyne, ter escrito essa historia em apenas dois dias e meio, com isso da pra se ter uma ideia de como ele ficou imerso nessa historia que retrata de maneira tão realista e sensível a amizade desses dois garotos.


“Você é o meu melhor amigo, Shmuel”, disse ele. “Meu melhor amigo para a vida toda.”


Comentários

  1. Eu estou muito ansiosa para poder ler o livro.
    Eu já assisti o filme, e me deixou em lágrimas, mas mesmo assim, quero muito ler e obter mais detalhes dessa obra emocionante.
    Parabéns pela resenha Allenylson ^^
    Beijos
    http://wwwleituraromantica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário