Pular para o conteúdo principal

Múltipla Escolha, de Alejandro Zambra

O começo do livro foi bem nada com nada, me senti perdido. Qual o leitor que está acostumado com um livro, que conta diversas histórias sobre os mais variados assuntos, no formato de questões de vestibulares? Por isso o título “Múltipla Escolha”. É um chamado para sair do óbvio e forçar a mente a tirar significado de algo, primeiramente, sem sentido. Algumas páginas adiante já comecei a entrar na ideia do autor e acabei adorando o livro. Frases pequenas, com múltiplas escolhas para substituir os espaços em brancos, faz invocar logo aqueles tempos de escola. Acostumados a obedecer e ter que marcar alguma alternativa, percebermos o quanto fomos treinados e não educados, como o autor enfatiza. Aliás, é um dos assuntos que mais me marcou e proporcionou pensamentos filosóficos sobre o nosso sistema educacional, onde somos treinados a dar uma resposta correta, com medo de que não seja a correta, mesmo que outra alternativa faça mais sentido. 
Por que devemos adivinhar o que o professor/educa…

Os Demônios de Deus | Resenha do Livro



Logo nas primeiras páginas, o autor nos arrebata para dentro da história. Que mistérios envolvem Petra e a filha? Será o Dr. Rodrigo Mazal uma espécie de maníaco por sentir desejo pela própria filha?

Dr. Rodrigo Mazal é um psicólogo famoso e bem sucedido. Casado com uma mulher muito atraente e tem uma filha linda, que o ama muito. Esse amor pela filha Jane chega a ultrapassar aquele amor de pai e filha. Certo dia recebe em seu consultório um paciente, até aí nade de anormal, não fosse o fato de ele dizer que era Deus. Rodrigo, como um profissional, percebe que o paciente tem uma dupla personalidade e deduz os possíveis traumas que aquele homem sofreu. Mas Deus lê os pensamentos do doutor e nega suas deduções. O psicólogo fica muito assustado com aquilo. E então as sessões começam, e as conversas entre o paciente divino e o doutor humano não é nada  monótono. Deus alega estar se sentido só vive em solidão. Nesse primeiro encontro, coisas reveladoras e chocantes são ditas, o que nos espantam. Como Rodrigo, duvidamos se aquele homem é o que é. Porém, concluímos que ele é Deus durante as próximas sessões. Rodrigo também chega a essa conclusão. Estava tratando de um caso único. As consequências dessas conversas logo apareceriam. A família do Dr. Mazal começa a enfrentar difíceis momentos, e o casamento do doutor com Petra entra em crise.

Arquivo pessoal
Todas as conversas entre Deus e Rodrigo foram inquietantes. É claro que se trata de ficção, mas os diálogos se mostram bem coerentes, o que nos deixa em dúvida sobre aquilo que aprendemos. É preciso muito cuidado para não acabar a leitura crente em tudo o que leu e rejeitar todos os ensinamentos que recebeu e se sentir “traído” por aqueles que nos guiam nessa jornada de fé. O autor foi brilhante, e creio que pesquisou e estudou muito para construir essa narrativa. Rodrigo teve seus encontros com Deus, e agora passa a ter encontros com Lúcifer, ou Hilal, ou Serpens... Está no meio de um embate entre Deus e o “Diabo”, o que não é muito agradável, e tem as suas consequências mais que perigosas.

Alexander Mackenzie foi brilhante, a narrativa é intercalada, ora por Rodrigo, ora por Petra, ora por Jane, e há ainda pequenos, mas pequenos mesmos, capítulos misteriosos sobre uma armação diabólica contra a família Mazal. Sempre em terceira pessoa. As citações de obras literárias clássicas, como Os Irmãos Kamarazov, por exemplo, deram à trama uma maturidade e intelectualidade, fazendo o leitor anotar todas aquelas dicas de clássicos citadas pelos personagens. É evidente que Os Demônios de Deus não é uma leitura para entreter apenas, mas sim para levar o leitor a buscar e adquirir conhecimento, fazendo-nos refletir sobre tudo aquilo que lemos.

É para ser lido com o máximo de atenção, e se possível, com uma bíblia ao lado. São várias as citações de versículos bíblicos. Para o público Teen mais maduro, que gosta de uma leitura instigante, que envolve história da humanidade, atrações perigosas e um prelúdio de uma batalha apocalíptica, é esse o livro que recomendo. Apesar de a história ganhar um ritmo mais acelerado nos últimos capítulos, vale muito apreciar cada página, com um ritmo mais tranquilo, absorvendo todas as informações. Não espero nada mais além que a excelência para a continuação da história, que promete ser um livro mais sombrio e apocalíptico. 

Mais informações:
Título: Os Demônios de Deus
Autor: Alexander Mackenzie
Editora: Madras Teen
Páginas: 368
Avaliação★ (Ótimo)
SinopseAlegando sofrer de crises de solidão, Deus irá finalmente falar após anos de silêncio. E ele não poderia ter escolhido melhor pessoa para isso: o Dr. R. Mazal. No consultório em British Columbia, Canadá, um labirinto de verdades é desmoronado. 
À medida que a terapia segue, a vida do psicólogo entra em completa derrocada, além de estar, sem saber, no centro de uma batalha de forças além da compreensão humana. As revelações de Deus confirmam o darwinismo e rebatem as leituras completamente equivocadas sobre o livre-arbítrio. As confissões divinas não deixam de mergulhar nos mais intrincados mistérios judaicos, trazendo à luz o que foi escondido. No entanto, o enigmático Frederic Burrhus parece ter versões bem diferentes... Aquilo era apenas a ponta do iceberg !
Numa caçada frenética por respostas, o Dr. Mazal entra no centro de uma conspiração sobrenatural. Mesmo amada pelo marido, Petra o trai e esconde um segredo de todos sobre seu passado. A filha, Jane, parecia ser a maior armadilha para o império do anticristo, mas em contrapartida, era também a grande arma secreta de Deus. Para fazer o plano do Soberano prevalecer, a misteriosa família Cohen faz de tudo para que o Dr. Mazal e Jane fiquem nas mãos do inimigo. Nem sempre quem nos apunhala é de fato nosso inimigo. Deus também tem suas artimanhas?

Comentários

  1. Olá!
    Desde que vi a capa do livro, gostei. A resenha ficou legal e gostaria de saber mais como são esses diálogos. Também sobre a relação de pai e filha.
    http://www.poesianaalma.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Uau! Se eu já era louca pra ler o livro depois da sua resenha tô me mordendo de curiosidade.
    Incrível e intrigante, a história parece ser de um teor muito forte e completamente reflexiva.
    Com certeza a quero ler.
    Adorei a resenha.

    ResponderExcluir
  3. Olá Allenylson! Não vou dizer que fiquei louca no livro, porque seria uma inverdade. Não faz meu estilo, apesar de me parecer um livro instigante. Sua resenha foi muito bem feita e me deu uma clara impressão do que encontraria no livro. Porém dessa vez vou deixar a dica passar.
    www.amorascompimenta.com

    ResponderExcluir
  4. Eitaaa....li e fiquei perplexa com o livro. As revelações do paciente "Deus" ao psicólogo e a forma que ele re-intepreta o Éden...demais! Não vejo a hora de ler o segundo livro "Las Vegas- o esconderijo do Onipotente" ( Leyla Perrone- Belo Horizonte)

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Confesso que esse livro não faz meu tipo. Apesar de parecer bastante interessante e me ter deixado curiosa sobre alguns aspectos, não é o tipo de livro que leria no momento. Apesar disso, sua resenha está ótima, conseguiu passar o que vamos encontrar no livro e também sua opinião com bastante clareza.
    Gostei do post!
    Beijos!

    www.livrosdajess.com

    ResponderExcluir
  6. Embora não faça muito o estilo de livro que to acostumado a ler, fiquei bastante curioso.
    Esses questionamentos que o personagem deve se fazer e automaticamente deve fazer nós leitores também cheios de pontos de interrogação na cabeça. Com certeza lerei ele.
    Sua resenha está incrivel, só me deixou mais curioso

    abraços
    des-construindooverbo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Uauu, esse livro parece ser muito bom!!
    Achei legal o fato de que ele apresenta referências bíblicas. A Bíblia é o principal livro da humanidade, influenciou muitas outras histórias e nós, normalmente, a ignoramos, né? Um dos meus projetos de vida é ler a Bíblia completa, vamos ver se consigo! :)

    Beijos,
    Fernanda
    www.oprazerdaliteratura.com.br

    ResponderExcluir
  8. Preciso ler esse livro logo, pois estou mega curiosa.

    http://luxuosoestilo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá!!!
    Eu fiquei em cima do muro se quero ou não ler esse livro, fato que se dá por eu ser agnóstica, mas meu lado curiosa ficou bem mexido, principalmente quando você disse que ao ler, podemos ficar em duvida sobre o que aprendemos, na verdade, essa foi a frase que mais mexeu comigo e chamou minha atenção, bem, vou ficar de olho em promoções, quem sabe ele não aparece e eu o compre né.

    Beijos
    entaotudoaconteceu.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá,

    quando recebi os releases para solicitar algum dos livros da Madras, de cara percebi que em nada Os demonios de Deus me interessava, por isso escolhi Os filhos de Lilith.
    Gostei da forma como tu destacou todos os pontos do livro na resenha... mas mesmo assim, e ainda assim, não leria o livro.
    Beijos,
    http://www.entreleitores.com/

    ResponderExcluir
  11. Nossa, que livro interessante. Gosto de livros assim, que instigam e nos fazem pensar e refletir. Mas teria que com certeza, focar muito a atenção nele. Fiquei bem curiosa e entrou pra minha lista.
    bjs!
    http://serieslivroseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Hey, tudo bem?

    A premissa é com certeza muito interessante e instigante, adoro leituras que nos fazem pensar, refletir e ainda nos dá material para outras experiências intelectuais. Entendo porque a leitura poder ser confusa, ainda mais contendo tantos referências e trechos da Bíblia mas acho que é só manter em mente que é uma ficção. Espero poder conferir.

    Beijos,
    Dois Dedos de Prosa

    ResponderExcluir
  13. Oie, tudo bem?
    Adorei a sua resenha, da forma como você descreveu a trama, parece ser bem intrigante mesmo. No entanto, não é o tipo de livro que eu leria, mas vou deixar anotadinho, quem sabe um dia.

    Beijos ♥
    Livros e blablablá

    ResponderExcluir
  14. Concordo com você sobre a leitura ser indicada para um público mais adulto e principalmente sobre ela ser lida com uma bíblia do lado. Ainda não conhecia este livro, mas embora ele não me chame nenhum pouquinho a atenção. Fiquei com vontade de lê-lo. para entender melhor o que você diz com relação aos diálogos e também com relação à questão da fé!

    Parabéns pela sua resenha! Um grande Abraço!
    Vanessa Vieira
    Pensamentos Valem Ouro

    ResponderExcluir
  15. Estou meio chocada ainda, espera um pouquinho ai haha
    Quando esse livro lançou, vi logo de cara que seria muito curioso *-*
    Não imaginava nem de perto que pegava bem nesse tipo de assunto, que eu acho bem complicado de ser discutido.
    Não sei se leria, mas vou anotar a dica caso algum dia bata aquela curiosidade...

    Beijos ;*
    Proseando com uma BibliophileFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  16. Allenylson, não conhecia esse livro e com sua resenha estou embasbacada! Parece ser um livro muito intenso e interessante. E acho que esse livro é ideal para ler com outros ao mesmo tempo. Intercalar a leitura, para ler com calma e ter tempo de digerir tudo, né?!

    Beijinhos!
    www.citacaonumclick.com.br

    ResponderExcluir
  17. Eu nem sabia que ia ter continuação. rs! Ainda não tinha parado pra ler a sinopse, a sua foi a primeira opinião que li sobre o livro e fiquei surpresa com algumas coisas do enredo. Tenho minhas convicções firmes em relação ao que creio, mas não me sentiria bem lendo esse livro.
    E achei meio estranho esse livro num selo voltado para o público adolescente. Lembro que nessa idade li Código da Vinci e fiquei meio baqueada, mas era bem mais "light" do que esse livro. Enfim, posso estar com julgamento precipitado, mas essa foi a primeira impressão que tive.
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  18. Confesso que estava esperando uma coisa totalmente diferente e fiquei bem interessada após essa resenha.
    Bom saber que a história é para um público mais adulto. É interessante uma leitura que nos faça pensar e refletir sobre o ocorrido.
    Sua resenha me deixou bem curiosa ;)

    Beijocas,
    http://www.segredosentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Ele e meu professor de literatura no abaco

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Leia o conto "O Gato Preto", de Edgar Allan Poe

Não espero nem peço que acreditem nesta narrativa ao mesmo tempo estranha e despretensiosa que estou a ponto de escrever. Seria realmente doido se esperasse, neste caso em que até mesmo meus sentidos rejeitaram a própria evidência. Todavia, não sou louco e certamente não sonhei o que vou narrar. Mas amanhã morrerei e quero hoje aliviar minha alma. Meu propósito imediato é o de colocar diante do mundo, simplesmente, sucintamente e sem comentários, uma série de eventos nada mais do que domésticos. Através de suas consequências, esses acontecimentos me terrificaram, torturaram e destruíram. Entretanto, não tentarei explicá- los nem justificá-los. Para mim significaram apenas Horror, para muitos parecerão menos terríveis do que góticos ou grotescos. Mais tarde, talvez, algum intelecto surgirá para reduzir minhas fantasmagorias a lugares-comuns – alguma inteligência mais calma, mais lógica, muito menos excitável que a minha; e esta perceberá, nas circunstâncias que descrevo com espanto, na…

O livro sobre nada | Poema de Manoel de Barros

O livro sobre nada

É mais fácil fazer da tolice um regalo do que da sensatez.
Tudo que não invento é falso.
Há muitas maneiras sérias de não dizer nada, mas só a poesia é verdadeira.
Tem mais presença em mim o que me falta.
Melhor jeito que achei pra me conhecer foi fazendo o contrário.
Sou muito preparado de conflitos.
Não pode haver ausência de boca nas palavras: nenhuma fique desamparada do ser que a revelou.
O meu amanhecer vai ser de noite.
Melhor que nomear é aludir. Verso não precisa dar noção.
O que sustenta a encantação de um verso (além do ritmo) é o ilogismo.
Meu avesso é mais visível do que um poste.
Sábio é o que adivinha.
Para ter mais certezas tenho que me saber de imperfeições.
A inércia é meu ato principal.
Não saio de dentro de mim nem pra pescar.
Sabedoria pode ser que seja estar uma árvore.
Estilo é um modelo anormal de expressão: é estigma.
Peixe não tem honras nem horizontes.
Sempre que desejo contar alguma coisa, não faço nada; mas quando não desejo contar nada, faço poesia.
Eu que…

Download gratuito de livros: Crime ou um mal necessário?

Há dias atrás, questionei sobre a prática de downloads de livros de graça na internet. Eu mesmo confesso que sou um desses praticantes, e a reação das pessoas foram das mais diversas. Alguns entediam, e mesmo assim afirmava que era contra tal prática; outros, mais exaltados, diziam que isso era crime, e comparava as pessoas que baixavam e baixam livros pela internet como criminosos de alta periculosidade; outros, que era totalmente a favor de tal prática, explicava sua opinião sobre o assunto e depois era "crucificado" por tal afirmação — a de que baixava livros de graça sim, obrigado.

Os argumentos contrários eram contraditórios, pois afirmavam que tal prática afetava justamente aquele autor iniciante que ralava muito para publicar de forma independente, e quando conseguiam, alguém ia lá e disponibilizava gratuitamente seu ebook para download. Sendo que esse argumento é falho e refutável, pois a "demanda" e a real "necessidade" de baixar livros gratuitame…