Pular para o conteúdo principal

As pupilas do senhor Reitor, de Júlio Dinis

As Pupilas do Senhor Reitor [Record, 368 pgs, R$32,90] é um clássico da literatura portuguesa. Como o título sugere, as personagens principais são as pupilas do S. Reitor. Margarida e Clara são irmãs, mas uma é o oposto da outra. Enquanto a mais velha, Guida, é reservada e dada às tristezas e melancolia da vida, a outra é alegre, brincalhona e de uma ingenuidade própria das raparigas (leia-se moças) de virtudes do século XIX. A trama gira em torno do já citado S. Reitor, as suas pupilas, o José das Dornas e seus filhos, Pedro e Daniel. Este último, que deveria ter sido padre, não fosse por sua paixão pela pequena Guida – os dois eram crianças – é o caos que agita toda a história. Mandado para a cidade do Porto, Daniel volta já médico para a aldeia onde nascera e passara a infância e causa agitação na pacata aldeia. Suas ideias modernas chocam o médico octogenário, João Semana, e a princípio há certa disputa entre o velho e conservador; o novo e o progressista. Pedro, irmão mais velho …

Lista dos mais vendidos do The New York Times | Artigos

Olá! Trago para vocês a lista do The New York Times dos livros mais vendidos nessa semana. Confira:

1° THE GIRL ON THE TRAIN (A Menina no Trem, em tradução livre)

Um thriller psicológico de estreia que irá mudar para sempre a maneira como você olha a vida de outras pessoas.
Rachel pega o mesmo trem de passageiros a cada manhã. Todos os dias ela passa por um trecho de acolhedoras casas suburbanas, e pára no sinal que lhe permite assistir diariamente o mesmo casal que almoçava no seu deck. Ela até começou a se sentir como se os conhece. "Jess e Jason", ela chamava assim. Sua vida, como a vê é perfeito. Não diferente a vida que ela recentemente perdeu.
E então ela vê algo chocante. É apenas um minuto, até que o trem se move, mas é o suficiente. Agora tudo mudou. Não é possível mantê-lo para si mesma, Rachel oferece o que sabe para a polícia, e torna-se inexplicavelmente entrelaçada no que acontece a seguir, assim como na vida de todos os envolvidos. Será que ela fez mais mal do que bem?
Compulsivamente legível, The Girl on a Train é, um thriller hitchcockiano emocionalmente envolvente e uma estreia eletrizante. A autora, Paula Hawkins, trabalhou como jornalista durante quinze anos antes de virar a mão para a ficção. Ela mora em Londres. A Girl on the Train é seu primeiro suspense. Ele está sendo publicado em todo o mundo e foi escolhido pela Dreamworks.
 NYPD RED 3 
Hunter Alden, Jr., um empresário bilionário, tem de tudo: uma mulher sexy, um filho adolescente brilhante, e uma fortuna em constante crescimento. Mas sua vida perfeita estilhaça uma noite horrível quando ele descobre a cabeça decepada de seu motorista, recheado em um saco marcada, em sangue, com as iniciais de seu filho. Agora seu filho está faltando, eo preço para recuperá-lo pode estar muito alta, mesmo para um dos homens mais ricos do mundo.
Quando NYPD Vermelho, a força-tarefa de elite para crimes mais alto perfil de New York City, leva o caso, o detetive Zach Jordan e seu sócio e ex-namorada-Kylie MacDonald nunca vi nada tão indizível. À medida que a investigação continua, Zach e Kylie perceber que quanto mais próximo se chegar à verdade, mais suas próprias vidas estão em perigo. 



3° ALL THE LIGHT WE CANNOT SEE (Toda a luz que não podemos ver, em tradução livre)

Marie Laure vive com seu pai em Paris a uma curta distância a pé do Museu de História Natural, onde trabalha como o mestre das eclusas (existem milhares de bloqueios no museu). Quando ela é de seis, ela fica cego, e seu pai constrói seu modelo de seu bairro, cada casa, cada bueiro, para que ela possa memorizá-lo com os dedos e navegar pelas ruas reais com os pés e cana. Quando os alemães ocupam Paris, pai e filha fugir para Saint-Malo, na costa da Bretanha, onde agoraphobic grande tio de Marie-Laure vive em uma casa alta e estreita pela parede do mar.
Em outro mundo, na Alemanha, um menino órfão, Werner, cresce com a sua irmã mais nova, Jutta, tanto encantado por uma rádio bruto Werner encontra. Ele se torna um mestre na construção e fixação de rádios, um talento que ele ganha um lugar em uma academia militar de elite e brutal e, em última análise, faz dele um tracker altamente especializada da Resistência. Werner percorre o coração de Hitler Youth para as periferias distantes da Rússia, e, finalmente, em Saint-Malo, onde seu caminho converge com Marie-Laure.
Linda combinação de Doerr de voar a imaginação com a observação é elétrico.Habilmente entrelaçando as vidas de Marie-Laure e Werner, Doerr ilumina os caminhos, contra todas as probabilidades, as pessoas tentam ser bom para o outro. 
4° THE LONGEST RIDE (Uma Longa Jornada)
Aos 91 anos, com problemas de saúde e sozinho no mundo, Ira Levinson sofre um terrível acidente de carro. Enquanto luta para se manter consciente, a imagem de Ruth, sua amada esposa que morreu há nove anos, surge diante dele.
Mesmo sabendo que é impossível que ela esteja ali, Ira se agarra a isso e relembra diversos momentos de sua longa vida em comum: o dia em que se conheceram, o casamento, o amor dela pela arte, os dias sombrios da Segunda Guerra Mundial e seus efeitos sobre eles e suas famílias. 
Perto dali, Sophia Danko, uma jovem estudante de história da arte, acompanha a melhor amiga a um rodeio. Lá, é assediada pelo ex-namorado e acaba sendo salva por Luke Collins, o caubói que acabou de vencer a competição.
Ele e Sophia começam a conversar e logo percebem como é fácil estarem juntos. Luke é completamente diferente dos rapazes privilegiados da faculdade. 
Ele não mede esforços para ajudar a mãe e salvar a fazenda da família. Aos poucos, Sophia começa a descobrir um novo mundo e percebe que Luke talvez tenha o poder de reescrever o futuro que ela havia planejado. Isso se o terrível segredo que ele guarda não puser tudo a perder.


5° A DANGEROUS PLACE (Um Lugar Perigoso)
Na história poderosa de Jacqueline Winspear de intriga política e tragédia pessoal, um assassinato brutal na cidade guarnição britânica de Gibraltar leva Maisie em uma teia de mentiras, enganos, e perigo.
Primavera de 1937. Nos quatro anos desde que ela deixou a Inglaterra, Maisie Dobbs tem experimentado o amor, o contentamento, a estabilidade e a tragédia mais profunda que uma mulher pode suportar. Agora, tudo o que ela quer é a paz ela acredita que pode encontrar, retornando para a Índia. Mas sua permanência nas colinas de Darjeeling é interrompida quando sua madrasta convoca-la para casa para a Inglaterra; seu pai envelhecimento Frankie Dobbs não está ficando mais jovem.
Mas em um navio com destino a Inglaterra, Maisie percebe que ela não está pronto para voltar. Contra a vontade do capitão que avisa a ela: "Você vai ficar sozinho em um lugar mais perigoso", ela desembarca em Gibraltar. Embora ela está sozinha, Maisie está longe de estar sozinho: a cidade guarnição britânica está repleta de refugiados fugindo de uma guerra civil brutal do outro lado da fronteira, em Espanha.
No entanto, o perigo é muito real. Dias depois da chegada de Maisie, um fotógrafo e membro da comunidade judaica sefardita de Gibraltar, Sebastian Babayoff, é assassinado, e Maisie se envolve no caso, chamando a atenção do Serviço Secreto Britânico. Sob o olhar desconfiado de um agente britânico, Maisie é puxado mais profundo em intriga política sobre o "Rock" -arguably estratégica mais importante da Grã-Bretanha território e renova um conhecido desconfortável no processo. Numa encruzilhada entre seu passado e seu futuro, Maisie deve escolher uma direção, sabendo que a Inglaterra é, para ela, um lugar igualmente perigoso, mas de uma maneira bem diferente.

Comentários

  1. Olá, achei a lista muito interessante, não conheço nenhum dos livros, mas o primeiro e terceiro livros me interessaram ... sem contar que para estarem na lista do New York Times por terem sido os mais vendidos,é pq devem ser bons livros ^^ agora fiquei curiosa hehe bjoks

    www.somandoconhecimento.com

    ResponderExcluir
  2. Bom, eu não gosto do The New York Times, considero suspeito tudo o que vem dele. quanto a ista, não conheço os livros, não os conheço...
    http://www.poesianaalma.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Me interessei muito pelo ALL the Light we cannot see, muito mesmo!
    Listinha bem bacana, vou conferir pelo menos o que mencionei!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. estou muito afim de ler ALL THE LIGHT WE CANNOT SEE, que já tem data prevista de lançamento no BR pela intrínseca.
    Até mais,
    Boo Nina,
    http://www.rascunhocomcafe.com/2015/04/infiel-como-sair-da-caverna.html

    ResponderExcluir
  5. Oi, Allenylson!
    Muito bom saber o que se passa "lá fora" em termos de literatura.
    Com exceção de Uma Longa Jornada, desconhecia completamente os outros títulos.
    Fiquei curiosa com All the Light We Cannot See.

    Boa semana!

    ResponderExcluir
  6. olá amigo Alle, eu gostaria de as resenhas das obras, principalmente este da moça cega que mora em paris acredito que conhecer seu universo seja muito interessante..bjss
    http://florroxapoemasepoesias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Leia o conto "O Gato Preto", de Edgar Allan Poe

Não espero nem peço que acreditem nesta narrativa ao mesmo tempo estranha e despretensiosa que estou a ponto de escrever. Seria realmente doido se esperasse, neste caso em que até mesmo meus sentidos rejeitaram a própria evidência. Todavia, não sou louco e certamente não sonhei o que vou narrar. Mas amanhã morrerei e quero hoje aliviar minha alma. Meu propósito imediato é o de colocar diante do mundo, simplesmente, sucintamente e sem comentários, uma série de eventos nada mais do que domésticos. Através de suas consequências, esses acontecimentos me terrificaram, torturaram e destruíram. Entretanto, não tentarei explicá- los nem justificá-los. Para mim significaram apenas Horror, para muitos parecerão menos terríveis do que góticos ou grotescos. Mais tarde, talvez, algum intelecto surgirá para reduzir minhas fantasmagorias a lugares-comuns – alguma inteligência mais calma, mais lógica, muito menos excitável que a minha; e esta perceberá, nas circunstâncias que descrevo com espanto, na…

O livro sobre nada | Poema de Manoel de Barros

O livro sobre nada

É mais fácil fazer da tolice um regalo do que da sensatez.
Tudo que não invento é falso.
Há muitas maneiras sérias de não dizer nada, mas só a poesia é verdadeira.
Tem mais presença em mim o que me falta.
Melhor jeito que achei pra me conhecer foi fazendo o contrário.
Sou muito preparado de conflitos.
Não pode haver ausência de boca nas palavras: nenhuma fique desamparada do ser que a revelou.
O meu amanhecer vai ser de noite.
Melhor que nomear é aludir. Verso não precisa dar noção.
O que sustenta a encantação de um verso (além do ritmo) é o ilogismo.
Meu avesso é mais visível do que um poste.
Sábio é o que adivinha.
Para ter mais certezas tenho que me saber de imperfeições.
A inércia é meu ato principal.
Não saio de dentro de mim nem pra pescar.
Sabedoria pode ser que seja estar uma árvore.
Estilo é um modelo anormal de expressão: é estigma.
Peixe não tem honras nem horizontes.
Sempre que desejo contar alguma coisa, não faço nada; mas quando não desejo contar nada, faço poesia.
Eu que…

Ostra feliz não faz pérola, de Rubem Alves

Bem, vou começar falando o quanto eu aprendi lendo esse livro. Quando falo livro, acho que estou me referindo a mais um livro qualquer, o que não é o caso de Ostra feliz não faz pérola. Rubem Alves é simplesmente incrível, e seus textos que fazem parte do livro são maravilhosos. Claro que tem alguns ao qual eu não concorde muito, mas sobre isso não tenho nada a acrescentar, porque continua sendo maravilhoso de todo o jeito. Acho que vocês estão aí pensando que estou me referindo muito bem ao livro, e que isso cheire a alguma forma de merchan. Mas não caros leitores, quem teve o prazer de ler Rubem Alves sabe do que estou escrevendo.  Os textos falam sobre sofrimento que produz a beleza, da morte que conduz à vida, do envelhecimento que traz a juventude não vivida, do sagrado que está em todos os lugares. São doses de sabedorias que quero tomar sempre. O Rubem fala muito em suas crônicas de Nietzsche, Bach, Cecília e tantos outros ao qual ele admirava. Ostra feliz não faz pérola é uma gr…