Pular para o conteúdo principal

A alma do mundo, de Roger Scruton

Para Roger Scruton, um dos filósofos mais importante da atualidade, não podemos explicar o mundo apenas pelas ciências naturais. Em seu mais recente livro publicado pela Editora Record, Scruton argumenta contra essa tendência de querer explicar cientificamente o que não se pode ser explicado cientificamente. O indivíduo, o self, não pode ser analisado pela ciência com o propósito de explica-lo, assim como o mundo, a música, a religião, o sagrado e as relações eu-você. Nos primeiros capítulos a compreensão pode ser um pouco difícil, pois o filósofo contrapõe os argumentos científicos (como a psicologia evolutiva) que afirma que o que fazemos é determinado pelos nossos genes. Mas não tentarei explicar o que é bastante complicado para entender, por isso deixo essa tarefa para o próprio Scruton.
As nossas associações, o nosso ato de sacrificar pela família ou pátria, nossos contratos, relacionamentos e até a nossa crença faz parte de um mundo que não se pode explicar pela ciência. O nosso …

5 dicas para mandar bem na redação do Enem



Como faltam 5 dias para o Enem, eu decidi fazer um artigo aqui no blog dando umas dicas para vocês mandarem bem na redação e tirar uma boa nota.

1° Fique por dentro de assuntos atuais e relevantes
Nos dias que antecedem o Enem, procure ler jornais, assistir telejornais, se informar sobre o que está acontecendo no Brasil, ficar de olha na política porque é muito provável que esse ano o tema da redação seja sobre as eleições. Visitem os sites de notícias online, ouçam programas de rádios, enfim, tudo o que você precisa durante a semana é se manter atualizado e só assim poderá dominar qualquer tema possível.

2° Deixe a redação por último
Sempre quando faço o Enem eu deixo a redação por última. Por quê? Porque eu prefiro jogar toda a tensão e nervosismo nas questões objetivas, para só depois me concentrar na redação. Além de ser mais vantajoso, funciona. Pelo menos para mim, que consegui uma nota de 800 na redação do ano anterior.

3° Leia com bastante atenção o tema e os dados
A banca sempre oferece alguns dados para facilitar a nossa vida digamos assim. No ano passado, o tema foi sobre a lei seca. Dado o tema, logo abaixo tinha alguns textos com dados atuais sobre a lei seca. Leia com bastante atenção, porque esses dados são de extrema importância e conta na hora da correção. Como assim? Funciona assim, você não pode dar opiniões sobre um assunto ao qual você nem ao menos conhece e tem um domínio sobre ele, citar dados e números no texto da redação conta muito, por isso use-os com moderação.

4° Não só critique, apresente soluções e argumentos
Tem muitas pessoas que cai no erro de só criticar o que foi apresentado. Isso é péssimo! Volto ao tema da lei seca, você não pode só falar do quanto os brasileiros são mal educados, que não tem consciência, que matam e ficam impune. Você pode criticar, mas tem que apresentar uma solução clara e possível, e dissertando como se daria essa solução com argumentos sólidos.

5° Muito cuidado na hora de passar o rascunho para a folha de redação
Vocês irão receber uma folha para fazer o rascunho da redação, lá você pode errar quantas vezes quiser. Mas na folha de redação tome muito cuidado para não errar uma palavra/letra sequer. Escreva com calma, não fique nervoso pois a sua letra sairá horrível (a minha sempre sai horrível, como a banca consegue entender minha letra?). Muita calma nessa hora, passe a limpo e pronto.


Essas foram algumas dicas que eu quis dar a vocês. Isso não é inventado ou copiado de algum blog/site que são essas dicas. Com minha experiência elaborei essas fáceis e simples dicas para ajudar vocês, e espero que consiga cumprir com o meu objetivo. Boa prova para todos vocês, e que todos sejam Aluno nota 1.000, isso é, que tirem a nota máxima em redação pois é ela a protagonista desse exame e da sua carreira acadêmica. Bom Enem!

Comentários

  1. Adorei as dicas, porém eu sempre preferi fazer a redação primeiro pois é o que eu tenho facilidade e depois fazer as questões.

    http://www.eucurtoliteratura.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Tainan, que bom que você gostou das dicas :) eu deixo a redação por último porque, sei lá kkkk já me acostumeis rs. Beijos

      Excluir
  2. Ótimas dicas. :D preciso ir bem :)

    Fiz um post sobre a carreira e as músicas do cantor carioca Cícero Lins. Ele é ótimo passa lá e da uma olhada nos outros posts também: http://goo.gl/xzXGPI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Rael! Vou dar uma olhada sim,
      abraços.

      Excluir
  3. Boas dicas! Independentemente do tema, o importante é estar preparado e dominar a escrita. Coerencia e objetividade, levam longe na redação do ENEM!

    http://cantinadolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Carlos! Uma pena que o tema da redação desse ano foi tão difícil, mas consegui desenvolver um bom texto. Abraços!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Leia o conto "O Gato Preto", de Edgar Allan Poe

Não espero nem peço que acreditem nesta narrativa ao mesmo tempo estranha e despretensiosa que estou a ponto de escrever. Seria realmente doido se esperasse, neste caso em que até mesmo meus sentidos rejeitaram a própria evidência. Todavia, não sou louco e certamente não sonhei o que vou narrar. Mas amanhã morrerei e quero hoje aliviar minha alma. Meu propósito imediato é o de colocar diante do mundo, simplesmente, sucintamente e sem comentários, uma série de eventos nada mais do que domésticos. Através de suas consequências, esses acontecimentos me terrificaram, torturaram e destruíram. Entretanto, não tentarei explicá- los nem justificá-los. Para mim significaram apenas Horror, para muitos parecerão menos terríveis do que góticos ou grotescos. Mais tarde, talvez, algum intelecto surgirá para reduzir minhas fantasmagorias a lugares-comuns – alguma inteligência mais calma, mais lógica, muito menos excitável que a minha; e esta perceberá, nas circunstâncias que descrevo com espanto, na…

Ostra feliz não faz pérola, de Rubem Alves

Bem, vou começar falando o quanto eu aprendi lendo esse livro. Quando falo livro, acho que estou me referindo a mais um livro qualquer, o que não é o caso de Ostra feliz não faz pérola. Rubem Alves é simplesmente incrível, e seus textos que fazem parte do livro são maravilhosos. Claro que tem alguns ao qual eu não concorde muito, mas sobre isso não tenho nada a acrescentar, porque continua sendo maravilhoso de todo o jeito. Acho que vocês estão aí pensando que estou me referindo muito bem ao livro, e que isso cheire a alguma forma de merchan. Mas não caros leitores, quem teve o prazer de ler Rubem Alves sabe do que estou escrevendo.  Os textos falam sobre sofrimento que produz a beleza, da morte que conduz à vida, do envelhecimento que traz a juventude não vivida, do sagrado que está em todos os lugares. São doses de sabedorias que quero tomar sempre. O Rubem fala muito em suas crônicas de Nietzsche, Bach, Cecília e tantos outros ao qual ele admirava. Ostra feliz não faz pérola é uma gr…

O livro sobre nada | Poema de Manoel de Barros

O livro sobre nada

É mais fácil fazer da tolice um regalo do que da sensatez.
Tudo que não invento é falso.
Há muitas maneiras sérias de não dizer nada, mas só a poesia é verdadeira.
Tem mais presença em mim o que me falta.
Melhor jeito que achei pra me conhecer foi fazendo o contrário.
Sou muito preparado de conflitos.
Não pode haver ausência de boca nas palavras: nenhuma fique desamparada do ser que a revelou.
O meu amanhecer vai ser de noite.
Melhor que nomear é aludir. Verso não precisa dar noção.
O que sustenta a encantação de um verso (além do ritmo) é o ilogismo.
Meu avesso é mais visível do que um poste.
Sábio é o que adivinha.
Para ter mais certezas tenho que me saber de imperfeições.
A inércia é meu ato principal.
Não saio de dentro de mim nem pra pescar.
Sabedoria pode ser que seja estar uma árvore.
Estilo é um modelo anormal de expressão: é estigma.
Peixe não tem honras nem horizontes.
Sempre que desejo contar alguma coisa, não faço nada; mas quando não desejo contar nada, faço poesia.
Eu que…