Coleção cozinha do mundo - Israel


Quem me conhece sabe o quanto eu amo a gastronomia. Pois bem, ganhei do meu tio o livro que fala sobre a culinária judaica, da coleção Cozinha do Mundo da editora Abril.

A ideia em sim que o livro traz não é só o de ensinar receitas, mas levar ao conhecimento do leitor a cultura dos judeus através de sua gastronomia.
Para nós brasileiros, os pratos típicos e comemorativos do povo de Israel não aparentam ser um "manjar dos deuses". Os nomes também são muito estranhos, como por exemplo, o Chrein, que são beterrabas raladas com vinagre, açúcar e raiz forte, um prato frio.

Chrein, um prato frio da culinária judaica


As especiarias tem um lugar de destaque na cozinha dos judeus. Já a questão da higiene dos alimentos segue o rígido código sanitário da lei Kashrut (um mandamento da Torá, o livro sagrado). Eles não comem nada da combinação carnes e laticínios (essa proibição tem sua origem em uma passagem bíblica “Não se deve cozinhar uma criança no leite de sua mãe”).

As especiarias tem destaque na cozinha dos judeus


No Shabat (dia de descanso) não se cozinha nada. Na véspera, é dedicada o preparo dos pratos que serão servidos durante o dia de descanso.

O vinho é uma das tradições mais antiga do povo judaico, e sobre esse assunto tem uma curiosidade: Os vinhos que os judeus tomam tem que ser supervisionado por um rabino. Depois de colhida as uvas, só pessoas que seguem as leis religiosas podem manuseá-las, assim como os equipamentos devem ser higienizados.

Uma cultura rica, não só em sua gastronomia, mas em costumes e tradições.

Quando eu preparar alguma recita desse livro, eu posto aqui no blog.

Comentários