Jogos Vorazes - Suzanne Collins | Resenha do Livro

I.S.B.N.: 9788579800245
Número de Paginas
400
Editora: Rocco

Sinopse
Após o fim da América do Norte, uma nova nação chamada Panem surge. Formada por doze distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital. Uma das formas com que demonstram seu poder sobre o resto do carente país é com Jogos Vorazes, uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de doze a dezoito anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte! Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Peeta, um garoto que ajudou sua família no passado, também foi selecionado. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos Jogos Vorazes?

A julgar pelo filme, Jogos Vorazes é bom. A julgar pelo livro, é maravilhoso! Com uma narrativa que amarra o leitor até o fim do capitulo e o deixa curioso para ler o próximo, Suzanne Collins aborda temas atuais e importantíssimos. A Trilogia, pelo que se dá a entender pelo primeiro livro, é uma crítica á sociedade e aos governos tiranos ainda existentes. Os 12 distritos me faz lembrar alguns países que sobram riquezas, e outros que faltam o básico onde pessoas trabalham muito para conseguir um pedaço de pão. Apesar de ser ficção, o livro tem mais a ver com a nossa realidade do que possamos imaginar. A história é maravilhosa, comovente, e um pouco cruel. Katniss e Peeta participam dessa edição dos Hunger Games, mas só um poderá sair vivo ao não ser que a regra dos jogos mudem. 

24 participantes, 2 de cada um dos 12 distritos, todo ano competem em uma arena montada especialmente para os jogos, onde somente um (ou não) sai vivo. Os game makers cria situações para que o sangue role dentro da arena, o que dá muita audiência ao povo do Capitol. Mas o presidente Snow não contava era com um casal apaixonado, que fez todos se comoverem e torcerem pelo casal, Katniss e Peeta do distrito 12. Mortes, ação, realidade e romance dão uma pitada a mais na história, o que o deixa mais gostoso de ler.

Comentários

  1. Oi, Allenylson! Como vai?
    Li a trilogia toda no ano passado e amei! Fico com muita raiva de quem não percebe a crítica social que a Suzanne Collins faz com o distritos - e estou muito feliz por você ter percebido -, porque ela quis mesmo mostrar a realidade através da ficção. Não sei se você já leu Em Chamas e A Esperança, mas são perfeitos!! E como assim "um pouco cruel"? Gente, é totalmente cruel! hahahah Sofri muito com os livros e continuo sofrendo - pois é, eu ainda estou de ressaca literária, mas já acostumei... só não consigo olhar para os livros, senão eu choro.
    É como dizem: a arte imita a vida.
    Realmente, você não consegue desgrudar do livro até terminar.
    Beijos,
    Karol.
    http://heykarol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Karol, ainda não li os livros posteriores, mas estou louco para ler! A crítica á sociedade foi um dos grandes motivos que me fizeram amar Jogos Vorazes. kkkk é muito cruel mesmo.
      Volte sempre, beijos!

      Excluir
  2. Eu também gostei muito do livro Jogos Vorazes, o filme achei bem fraco. Já li toda a trilogia e só melhora. As críticas feitas à sociedade atual são bem visíveis, principalmente no que diz respeito à tirania e opressão.
    Beijos

    blogfalandodelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses são os pontos críveis da critica feita nos livros. O filme eu achei bom, não o julgo porque sempre as adaptações deixam a desejar, mas dentro do contexto cinematográfico eu gostei muito. Beijos Eva :)

      Excluir

Postar um comentário